Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal
EN PT

 Detalhe do evento

UMinho homenageia Vítor Aguiar e Silva Voltar

sexta-feira, 20/10/2017    Auditório B1 (CP II) e exterior do ILCH, campus de Gualtar, Braga
Foto de grupo (foto: WAPA)
Ministro da Cultura presente na cerimónia, que incluiu o descerramento da escultura “Artes, Humanidades e Engenharia”, de Raúl Ferreira, numa parceria entre a shairart, o IB-S e o ILCH.
Vítor Aguiar e Silva, professor catedrático emérito da Universidade do Minho e figura ímpar dos estudos humanísticos, foi homenageado a 20 de outubro, pelas 12h00, no auditório B1 (Complexo Pedagógico II) do Campus de Gualtar, em Braga. A sessão contou com intervenções do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, do reitor da UMinho, António M. Cunha, do presidente do Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH), João Cardoso Rosas, do presidente do grupo dst, José Teixeira, do diretor do Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S), Tiago Miranda e de Vítor Aguiar e Silva.

O programa incluiu ainda uma breve performance do ator António Fonseca e de músicos da Orquestra da UMinho e, no final, o descerramento da escultura "Artes, Humanidades e Engenharia", de Raúl Ferreira, junto ao edifício do ILCH. A peça de três metros de altura baseia-se numa loggia clássica e tem um dos arcos a terminar em forma de livro, cuja capa e contracapa sugerem os ornamentos do fac-símile d’“Os Lusíadas”, publicado sob coordenação de Vítor Aguiar e Silva. A obra usa o novo material ASIC, resíduo da indústria siderúrgica que a médio prazo deve substituir o cimento. A escultura foi uma parceria entre o IB-S e a shairart, do grupo dst.


Doutor honoris causa pela Universidade dos Açores

Vítor Aguiar e Silva recebeu dias antes, a 16 de outubro, o título de doutor honoris causa pela Universidade dos Açores, que reconheceu o seu mérito e contributo na instalação do Instituto Universitário dos Açores, bem como a sua ligação com o Departamento de Línguas e Literaturas Modernas. O homenageado nasceu em 1939 em Real, Penalva do Castelo (Viseu), estudou e ensinou na Universidade de Coimbra e, em 1989, transitou para a UMinho, onde foi vice-reitor, professor catedrático do ILCH, fundador e diretor da revista “Diacrítica” e do Centro de Estudos Humanísticos.


Foi professor visitante em universidades estrangeiras, coordenou a proposta de criação do Instituto Camões, a Comissão Nacional de Língua Portuguesa e fez parte do Conselho Nacional de Cultura. É membro da Academia de Ciências de Lisboa. Coordenou o “Dicionário Luís de Camões”, o primeiro sobre a vida e obra do poeta, com peritos de vários países, e publicou obras como “Maneirismo e Barroco na Poesia Lírica Portuguesa", "Teoria da Literatura” e “Jorge de Sena e Camões. Trinta Anos de Amor e Melancolia”. Já recebeu os prémios Vergílio Ferreira, Vida Literária, D. Dinis, APE, Eduardo Prado Coelho e Jorge de Sena, além da Grã-Cruz da Ordem de Instrução Pública, o doutoramento honoris causa pelas universidades de Lisboa e dos Açores e a insígnia de ouro da Universidade de Santiago de Compostela.

+Info: facebook.com/events/1809337515779475
shairart.com/blog/pt/artes-humanidades-engenharia
Convite
Banner
Imagem_P
Poster
Atuação musical (foto: WAPA)
Plateia (foto: WAPA)
Discurso de Vítor Aguiar e Silva (foto: GCII-UMinho)
Atuação de António Fonseca (foto GCII-UMinho)
Descerramento da escultura (foto: WAPA)
Foto de grupo (foto: WAPA)
Pormenor da escultura  (foto: WAPA)
Ministro da Cultura e autor da escultura (foto: WAPA)
A escultura junto ao ILCH (foto: WAPA)
Vítor Aguiar e Silva (foto: GCII-UMinho)
Vítor Aguiar e Silva